segunda-feira, 7 de maio de 2012

Crente Saudosista - Tempos que Lá Vão



"Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim," (Filipenses 3:13)

Saudosismo é definido como: uma saudade, por vezes, obsessiva de tempos passados.

Não será raro ouvir pessoas mais antigas, dizerem: "Naquele tempo, havia muita fome, mas era uma alegria"

Este tipo de afirmações pode ter alguma verdade, mas não contém toda a verdade. Creio que tudo pode ter a sua beleza, mesmos os momentos mais angustiosos, mas somente depois de os ultrapassarmos.
Temos a capacidade, muitas vezes, de mostrarmo-nos parciais quanto a situações passadas onde raramente consideramos que poderá haver alguma satisfação em coisas do passado que foram difíceis e algumas até catastróficas; Mas como já passou ... foi um bom tempo.

Se sim, pergunto: Porque também hoje não somos capazes de "passar fome" e mesmo assim manter a mesma alegria, que hoje dizemos que tínhamos no passado ? O que mudou ?
No fundo creio que o saudosismo é apenas uma triste forma de fugirmos à realidade presente e responsabilidade presente.

Em relação à vida espiritual, creio que está existindo um enorme grupo de pessoas com saudades de tempos idos.


RECORDAR É VIVER ... MAS NÃO VIVA DISSO
Pessoas que só vivem de recordações não vivem. Estão completamente absorvidas pelo passado e não conseguem olhar o presente nem vivê-lo, nem contemplar o futuro com a esperança necessária, vinda de Deus.
Por vezes este tipo de pessoas acabam por ter uma vida estreitamente mórbida e complicada, e não é raro serem dadas as grandes depressões e afectarem com seu saudosismo religioso a vida de outros à sua volta.


QUAL É O SEU DEUS ?
Quando eu afirmo e coloco minha atenção apenas no passado isso quer dizer que eu estou limitando o poder de Deus e acção de Deus no presente. Cremos nós nisso ?
  • Será que o nosso Deus está surdo ?
  • Será que nosso Deus está distante ?
  • Será que ele está com o braço encolhido ?
"EIS que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir."  (Isaías 59 : 1)


CUIDADO COM A TENTATIVA DE AUTO-ABSOLVIÇÃO
Muitos fazem afirmações do tipo supracitadas porque simplesmente recusam-se a assumir que também fazem parte de um grupo de pessoas que não desejam pagar o preço de uma vida consagrada.

Portanto: 
  • Onde está o problema ?
  • Nos tempos ?
  • Nas pessoas que estão diferentes ?
  • Na Igreja que está diferente ?
DEFINITIVAMENTE NÃO! O problema está em nós, pois se formos verdadeiramente sinceros iremos perceber que também nós temos mudado  e muito em nossa busca e desejo de santificação, diante de Deus, por meio de Cristo.

Pensemos:
  • Estamos orando como devíamos orar ou mesmo quando orávamos no passado?
  • Estamos lendo a Palavra e "devorando-a", como fazíamos no passado ?
  • Estamos buscando a comunhão com os irmãos, como tínhamos no passado ?
Não nos esqueçamos que aqui sim... nós iremos dar contas a Deus, não apenas do modo como vivemos o nosso passado, mas também como estamos a viver o presente; E diante de Deus, nossos argumentos presentes com certeza cairão por terra.

Estamos à espera que a obra seja avivada e comece por quem ?
Pelo pastor ?
Pela nossa congregação?
E nós o que somos ? Não fazemos parte da mesma ? OU somos um membro desmembrado ?

Talvez um conselho que cabe a todos nós, que nos queixamos talvez seja:
"Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres."  (Apocalipse 2:5)

ou mesmo:

"De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados."  (Lamentações 3:39)

2 comentários:

  1. Muito bom, Duarte. O nosso Deus não é o EU FUI, nem o EU SEREI, Ele é o EU SOU. Um abraço.
    P.S. Meu avô é de Funchal e eu nasci no Brasil. Tenho vontade de conhecer a terra de meus ancestrais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amém.
      Eu não conheço o Funchal, sou mais propriamente de S.Miguel-Açores, mas tenho um irmão em Cristo que muito fala da Madeira, pode ser que um dia eu lá possa ir.

      Um grande abraço; Volte sempre :-) e muito obrigado por seu testemunho.

      Eliminar

Seus comentários são importantes para o blog. Deixe sua apreciação negativa ou positiva, mas não seja neutro.

Reservo-me no direito de não publicar comentários anónimos, caso entenda como necessário ou qualquer outro tipo de comentários que saia da orientação do blog.
Qualquer tipo de comentários que traga linguagem abusiva ou ofensiva de igual modo serão descartados.