sábado, 19 de novembro de 2011

NÃO se Mude de "Igreja" Quando...



]Fonte[

INTRODUÇÃO:
Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. (Hebreus 10:25)

O que apresento neste post não é algo deveras conclusivo, nem o pretendo que o seja, porém trago algumas notas para aqueles que desejarem perder algum tempo a reflectirem, sobre as mesmas(o que agradeço).
A questão não passa por não haver razões pessoais afim de deixarmos de congregar com determinado grupo de irmãos. Todas as pessoas apresentam suas razões; A questão passa por averiguarmos se estas razões apresentadas são bem fundamentadas e principalmente se encontram apoio nas Escrituras.
O escritor de Hebreus ressalta que não devemos deixar de congregar, pois quando estamos em unidade, nós "Consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras" (v. 24).
Ressalta, também, que todo aquele que se aparta da congregação, corre o risco de "voltar" ao mundo, e se o justo "Recuar, a Minha alma não tem prazer nele" (v. 38).
Todos os que afastam-se de Deus, acabam perdendo tudo "Não rejeiteis, pois, a vossa confiança, que tem grande e avultado galardão" v.35.

A cada dia que cresce o número de igrejas, maior é a tentação. Cada uma procura oferecer uma maior satisfação ao cliente-crente.
Cada vez mais notamos as “Igrejas” se auto-dominarem como detentores da verdade e que fora dela todo o mundo está simplesmente condenado ao Inferno. Isto chama-se zêlo, mas sem qualquer entendimento - zêlo religioso, fanático.
Dizer que igreja A ou B é detentora da verdade e fora dela não há qualquer hipótese de salvação é a mesma coisa que dizer que antes da dita Igreja ser fundada, não havia salvação. É isso coerente? A verdade está em Deus e em Seu Filho Jesus Cristo. (1João 5:20)


Antes de dizer porque não se deve mudar é sempre necessário perguntar:
  • O que procura numa igreja?
  • Quais os seus interesses numa igreja?
  • O que faz permanecer ou não na mesma?
  • Que tipo de relacionamentos deseja ter com a mesma? 
  • Que tipo de pessoas está procurando numa igreja?
  • Encara correctamente e bíblicamente suas responsabilidades como membro da mesma?
Nota:
Uma reflexão mais acurada de Hebreus 10:25 ficará para uma próxima oportunidade, se Deus assim permitir.
Utilizo o termo igreja apenas como um substituto da palavra congregação, tendo conhecimento que esta não é a melhor definição.

A MINHA EXPERIÊNCIA:
Sendo eu alguém que infelizmente e por força das circunstâncias estabelecidas vivenciei algo do género, considero poder falar pelo menos com algum conhecimento de causa, sendo também conhecedor de outro tipo de mudanças baseadas em decisões pouco acertadas.
Para muitos mudar de igreja só é válida quando outros "peixes" saltam dos outros aquários para os seus. O inverso já é altamente condenatório, repugnável, digno de todas as maldições infernais.
Se outros crentes abandonarem suas congregações para virem para a minha está tudo ok, tudo certo, tudo bíblico, tudo maravilhoso, tudo divino porém quando se trata de crentes abandonarem a minha congregação para irem para outra então a coisa deve ter a mão do diabo por detrás. É isso coerente? Talvez!
Há aqueles que acham que uma pessoa só se deve mudar do Catolocismo para o Protestantismo, porém mudar-se de uma igreja evangélica para outra já não é assim, mesmo tendo consciência que a tal igreja perdeu o temor à Palavra e a acção do Espírito Santo.
Há ainda aqueles(evangélicos) que dizem: "Eu nasci aqui e irei morrer aqui", mesmo não possuindo qualquer noção quanto o que é nascer de novo.

ASSIM SENDO ...

a) NÃO SE MUDE POR CAUSA DO LOUVOR
Conheço pessoas, que mudaram-se de "igreja" porque consideravam que a mesma não estava oferecendo um bom louvor. Quando falo num bom louvor não me refiro à preocupação da parte de tais pessoas quanto à letra dos hinos cantados, mas simplesmente a coisas do tipo relacionados com ritmos e afins.
A forma como o pastor também liderava o louvor também constituía um problema; “Era muito mortinho” diziam.
Eu não tenho dúvidas que se aparecer outro pastor mais “vivo” do que o actual, para este tipo de crentes , eles irão mudar-se novamente, a não ser que eles próprios não acreditem que este fundamento seja realmente válido para um tipo de mudança de "igreja".


b) NÃO SE MUDE PELAS CONDIÇÕES ESTRUTURAIS OU ORGANIZACIONAIS
As condições físicas do templo é deveras importante, mas não tão importante que nos faça mudar de "igreja". Muitos têm-se apegado à estrutura do templo:
1 E, QUANDO Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo. 2 Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada. (Mateus 24.2)
"Não vos fieis em palavras falsas, dizendo: Templo do SENHOR, templo do SENHOR, templo do SENHOR é este." (Jeremias 7:4)
É verdade que as condições estruturais e organizacionais são deveras importantes, mas pensemos:
O que torna realmente o Templo importante? É o templo que santifica Deus ou ele é santificado por Deus?


c) NÃO SE MUDE PELOS DEFEITOS DAS PESSOAS
Pessoa que assim pensa e age nesta base, não se contempla ao espelho. Certa vez um homem disse a Spurgeon(creio eu):
- “Vou sair de sua igreja porque encontrei a igreja perfeita”. Spurgeon retruquiu:
- “É melhor não ires para lá porque a vás estragar”.
Outro pastor que ouvia frequentemente dos crentes mais espirituosos comentários do tipo:
“Esta igreja está cheia de hipócritas e pecadores”. Ele resolveu responder publicamente através de uma faixa: "Dizem que esta igreja está cheia de hipócritas. É mentira! Sempre tem lugar para mais um".
Muitas vezes é isso que acontece – pessoas imperfeitas exigindo lugares perfeitos e que os outros sejam perfeitos. Grande parte das pessoas saem por causa de problemas criados entre outros membros. Geralmente se diz: Onde se cria o problema é lá que este deverá ser tratado. Mas o que as pessoas fazem? Mudam-se, levando consigo um coração cheio de amargura, de raiva de rancor, deixando feridas em aberto em vários corações.
Tenho visto e ouvido alguns saírem nestas condições e pouco tempo depois dizerem: “Eu não tenho nada contra aquela pessoa”. Isso revela que tal pessoa já está bem tendo a outra à distância. Exactamente a mesma que teve sérias discussões e nunca resolveram seus problemas. Isso é inadmissível.
Quando não saímos pelas verdadeiras razões, e saímos pelas erros dos outros, em qualquer lugar que iremos teremos problemas.


d) NÃO SE MUDE PELA QUANTIDADE DE PESSOAS NA ASSISTÊNCIA
O número de pessoas que constituem uma igreja é essencialmente importante, mas não o mais importante. Nunca confunda número com bênção e com a fidelidade de Deus neste lugar. O maior exemplo disso, foi o próprio Jesus. Deus não trabalha com números mas com fidelidade. Ele ainda hoje continua a dizer-nos:
"... Quereis vós também retirar-vos?" (João 6:67)
A questão numérica também não foi a base da vitória para com Gideão. Muitos estão abandonado a doutrina pelo número de pessoas. Muitos saltam sempre para a igreja que mais está a crescer.
Creio que estas são pessoas que necessitam de auto-afirmação em alguma coisa e a igreja numerosa serve bem para o efeito. “Eu pertenço a igreja tal, tem x membros, etc.”


e) NÃO SE MUDE PORQUE É CONFRONTADO COM SEUS PRÓPRIOS PECADOS
Este é um tipo de crente extremamente complicado. Costumamos a dizer: “Quem está mal, muda-se”. Mas será que isso aplica-se quando eu estou a ser confrontado com meus próprios erros e pecados à luz das Sagradas Escrituras?
Desejar ir para um meio onde não existe um confrontamento connosco próprios, faz-nos lembrar o que dizia João Baptista: “Quem vos ensinou a fugir da ira futura?” (Mateus 3.7)
O povo queria ser baptizado sem arrependimento, sem mudança de vida. Coisa que só acontece quando somos confrontados com nossas próprias falhas e pecados. Para ouvir somente coisas boas, podemos contratar animadores de palco, o que também muitas igrejas já o estão fazendo. As pessoas desejam muito mais pregações de auto-ajuda, que as eleve em sua auto-estima do que falar na depravação moral e pecaminosa. Por esta razão as igrejas que mais sucesso fazem são aquelas que apresentam a cura para o corpo e não para a alma. Isso é o que falou o profeta Jeremias:
“Eles tratam da ferida do meu povo como se não fosse grave. 'Paz, paz', dizem, quando não há paz alguma.” (Jr 6: 14)


f) NÃO SE MUDE PELA FALTA DE ATENÇÃO À SUA PESSOA
Muitos acabam por sair da igreja porque em seu entender ninguém lhes dá a atenção que eles gostariam de receber. Lembre-se neste organismo você é tão importante quantos os outros – nem mais nem menos.
Nem sempre é possível que um irmão ou mesmo o pastor lhe passe a devida atenção num determinado momento. Será que este tipo de pessoas pensam que as outras pessoas e imagine só, até o pastor, pode estar com problemas mais graves do que os seus?
Há pessoas que saem de uma igreja simplesmente porque a igreja não os deu o tratamento VIP que tanto mereciam. Será isso uma boa justificação?
Geralmente pessoas que exigem muito atenção dos outros para si, não têm tempo para darem atenção aos outros. São pessoas que revelam imaturidade espiritual. Acham que saindo da igreja por esta razão irão encontrar alguém que os leve ao colo 24 horas por dia servindo pequeno almoço na cama. Este tipo de situações aconteceu também na igreja primitiva:
ORA, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano. (Actos 6.1)


g) NÃO SE MUDE PORQUE A IGREJA NÃO RESOLVE SEUS PROBLEMAS PESSOAIS
Não há dúvida que existe muito conceito errado acerca do que é uma igreja e o papel que esta deverá desempenhar em nossas vidas. Há pessoas que chegam à igreja e a igreja tem que ter solução para todos os seus problemas.
Dizem: “Igreja que não resolve meus problemas não é igreja não é nada”. E a igreja mais eficaz é aquela que resolve em menos tempo, mais problemas. A igreja não serve para resolver problemas que nos compete a nós fazê-lo.
O papel da igreja é orientar para que as pessoas saibam qual é a vontade de Deus para suas vidas e apontar o caminho a seguir. Caminho esse que é seguido por cada um que aceita o desafio. Há muita pessoa que espera que a Igreja faça aquilo que eles mesmo não querem fazer. Isso é uma hipocrisia.
Não devemos esperar da Igreja menos do que esperamos de nós, afinal nós somos a Igreja.
A igreja não resolve os problemas quando as pessoas não demonstram interesse em resolvê-los.
A igreja não muda as pessoas quando estas não demonstram desejo de mudança.
A igreja não resolve problemas quando as pessoas não cooperam quando lhes é exigido
A igreja não muda às pessoas, quando estas não se entregam a quem as pode mudar – Cristo.


NOTA:
Pretendo trazer algumas razões porque creio que devemos mudar de "Igreja", mas isso é algo que ficará para um próximo artigo.

Deus abênçõe!!

0 comentários:

Enviar um comentário

Seus comentários são importantes para o blog. Deixe sua apreciação negativa ou positiva, mas não seja neutro.

Reservo-me no direito de não publicar comentários anónimos, caso entenda como necessário ou qualquer outro tipo de comentários que saia da orientação do blog.
Qualquer tipo de comentários que traga linguagem abusiva ou ofensiva de igual modo serão descartados.