segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Perder Privilégios - Perigos Da Sonolência Espiritual: Um Alerta [Parte 2]

]Fonte - Pintura de Anthonis Van Dyck[
Neste artigo gostaria de chamar vossa atenção para o facto do perigo em estarmos adormecidos espiritualmente e isso reflectir-se em perda de grandes e inúmeros privilégios. Iremos considerar três exemplos:

a) SANSÃO
“Então, Dalila fez dormir Sansão nos joelhos dela e, tendo chamado um homem, mandou raspar-lhe as sete tranças da cabeça; passou ela a subjugá-lo; e retirou-se dele a sua força.” (Jz 16.19)
Sansão é um exemplo trágico como o sono pode-nos levar a perder os privilégios que temos. A força de Sansão era um presente de Deus para livrar o povo dos filisteus (Jz 13.5). Sansão brincou com coisas sérias ao ponto de mentir.
A mulher, Dalila, o fez dormir e foi desta forma que eles, não ela como por vezes se pensa, conseguiram cortar o cabelo e vencê-lo. Este exemplo é excelente para reflectirmos na forma de agir do   inimigo das nossas almas, pois aquilo que ele não consegue fazer estando nós acordados vai fazê-lo com certeza, colocando-nos a dormir.
Esta suposta “paz” que vivemos, fruto muitas vezes de um espírito ecuménico tem nos feito muito mal, pois tem feito com que percamos o senso que estamos numa guerra espiritual e estamos perdendo terreno para o inimigo e nem damos conta.
Reparemos que só depois de Sansão acordar apercebe-se que “o Senhor se tinha retirado” (v. 20b). E desta forma Sansão passa de libertador a prisioneiro (vs. 21). É isso que o diabo quer fazer connosco.


b) SUNAMITA
Repare nesta tragédia. Quando ela decidiu-se levantar da cama o amado já se tinha ido:
"Eu abri ao meu amado, mas já o meu amado tinha se retirado, e tinha ido; a minha alma desfaleceu quando ele falou; busquei-o e não o achei, chamei-o e não me respondeu."  (Cant 5:6)
"Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto."  (Is 55:6)
"E dei-lhe tempo para que se arrependesse da sua prostituição; e não se arrependeu."  (Apoc 2:21)
Será que quando acordarmos da nossa sonolência iremos procurar pelo amado, e Ele já se foi? 


c) DISCÍPULOS NO MONTE DA TRANSFIGURAÇÃO (Lc.9.28-32)
Estes discípulos, Pedro, Tiago e João, tiveram o alto privilégio de serem seleccionados de forma especial (Lc. 9.28, Mt.17.1)
Apercebemo-nos que eles ao estarem carregados de sono (v.32) não se apercebem muito bem o que se está a passar ali nem a conversa que se desenrola à volta da morte de Jesus.
Talvez se ouvissem a conversa desde o inicio não teriam valorizado tanto a criatura e mais o Criador (Rm.1.25), talvez seja por isso que Deus Pai tem que intervir e dizer: “Este é o meu filho amado a ele ouvi” (Lc.9.35)
Pedro ao acordar é que se apercebe da grandeza daquele momento e diz: “Bom é estarmos aqui e lhe surge o desejo de fabricar três tendas”, onde a palavra diz: “Não sabendo o que dizia” (9.33)

O sono no monte poderá representar aqueles, que estão dormindo dentro da igreja: Vem ao culto, cantam, ouvem a pregação, até vê a gloria de Deus a manifestar-se, mas seu coração está no vale da sonolência espiritual.
Não somos crentes só dentro da igreja! Lá no vale, ao descer do monte, há pessoas precisando de nós. Na igreja, no culto, nos enchemos da gloria e do poder de Deus e depois descemos para o vale, para o mundo, cheio da glória de Deus para ganhar almas para Jesus. Isso é um privilégio. Estamos perdendo estes privilégios. Os privilégios é para serem aproveitados e guardados

Deus diz à igreja de Filadélfia: “guarda o que tens...” (Apoc 3.11)
“Tendo pouca força guardaste a minha palavra”  (Apoc 3.8)
“guardaste a palavra da minha paciência” (Apoc 3.10)

CONCLUSÃO:
Por estarmos a dormir e não buscarmos a Deus estamos a perder privilégios, bençãos. Estamos nos alimentando das migalhas quando Deus tem para nós uma mesa farta. Estamos descendo ao Egipto(mundo) a buscar alimento quando Jesus é o pão da vida. (Jo 6.35)

Há crentes a mendigar a alegria, quando Jesus prometeu seu gozo completa (Jo 17.13)
Há crentes a mendigar a paz, quando Jesus é o Príncipe da Paz (Jo 14.27 comp Is 9.6)
Há crentes a mendigar a esperança, quando temos o Deus de toda a esperança e consolação (2Tess 2.16, Rm 15.13)
Há crentes a mendigar o amor, quando Jesus Cristo é a expressão máxima do amor de Deus (Jo 3.16)
Há crentes a mendigar a auto estima, quando se esquecem que Jesus os valorizou na cruz do Calvário (Gl 2.20)

Afim de ler os artigos pertencentes a esta série, por favor aceda Aqui

2 comentários:

  1. A igreja de Cristo precisa mesmo abandonar a letargia,abdicar da embriagues em que se encontra.
    Paz!

    ResponderEliminar
  2. Graça&Paz!!
    Sem dúvida que esta é uma necessidade tão urgente de ser pregada a todos quantos possível.

    Quero agradecer-lhe imensamente sua presença em meu blog e respectivo comentário. Espero que volte sempre e nos presenteie com seus comentários.

    Fique na paz de Cristo.

    ResponderEliminar

Seus comentários são importantes para o blog. Deixe sua apreciação negativa ou positiva, mas não seja neutro.

Reservo-me no direito de não publicar comentários anónimos, caso entenda como necessário ou qualquer outro tipo de comentários que saia da orientação do blog.
Qualquer tipo de comentários que traga linguagem abusiva ou ofensiva de igual modo serão descartados.