quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Um Jesus Severo, Fundamentalista e Extremista

]Gustave Doré - Jesus expulsando os vendilhões no templo[
INTRODUÇÃO:
Sinceramente há coisas que olhando para o Jesus do Séc. I, o Jesus Histórico, como alguns gostam de chamar, creio que não fazem qualquer sentido hoje para nós que vivemos no séc. XXI e principalmente do lado ocidental que ao longo do tempo temos aprendido a ser mais polidos e educados, não é mesmo?
Jesus deixa-me atónito com suas mensagens fundamentalistas e radicais, pois o vejo demasiadamente severo para com determinadas pessoas. Não Era uma pessoa complacente e por vezes até em seu ânimo perdia as estribeiras.


PORQUE FALO ASSIM?
Jesus chama a determinadas pessoas, nomes que poderia ser até admissível de qualquer outro, talvez, mas não de Jesus. Expressões como:
Hipócritas
Condutores cegos
Sepulcros caiados
Serpentes e raça de víboras
Isso tudo encontramos no texto de Mateus 23.13-33Como julgamos estas palavras em tempos hodiernos? Como e onde encontramos o amor de Jesus nestas palavras? Como julgaríamos se estas palavras fossem proferidas por algum pastor que surgisse do anonimato?


PODENDO FACILITAR

Cada vez que penso nas atitudes de Jesus leva-me a pensar como Ele poderia ter um final totalmente amistoso, não fosse o homem tumulento que foi em sua sociedade.

Ele poderia se tornar até popular, como seus irmãos até mesmo lhe aconselharam:
3 Disseram-lhe, pois, seus irmãos: Sai daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes. 4 Porque não há ninguém que procure ser conhecido que faça coisa alguma em oculto. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo. (Jo 7.3,4)
Algumas vezes tentaram tirar-Lhe a vida pelas acusações que Ele fazia a determinado grupo de pessoas.
Não admira perguntarem-lhe: "...Com que autoridade fazes isto? e quem te deu tal autoridade?" (Mt 21.23)
Jesus com seu poder poderia ganhar muitas mais almas para o Reino, mas não! Começou logo a "malhar" no pessoal que o ouvia ao ponto de ofender a sensibilidade e a auto-estima das pessoas que ali estavam e que já eram consideradas seus discípulos. Talvez pensasse que jamais aquelas pessoas violariam seu compromisso com Ele. Ora, nada disso:
Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? (Jo 6.60)

Ainda para mais, quase que ia ficando sozinho, pois ainda em seu orgulho ainda virou-se para apenas os doze que lhe sobraram e disse:
"...Quereis vós também retirar-vos?"  (Jo 6:67)
Parece mesmo que Jesus era do tipo "durão" que não entrava de maneira nenhuma em conversações quanto a mudar um milímetro de sua missão e doutrina, mesmo que isso significasse perder todos os seus discípulos. Não admira que tivesse tantos problemas, e tão poucos que o queriam ouvir e seguir como Mestre. Ele fazia por isso!!

Repare novamente no extremismo de Jesus:
"E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas; e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas;"  (Jo 2: 15)

Pergunto: Mas para que tanto exagero? Quer dizer, sai da sua terra, vai até Jerusalém para causar este problema? Como costuma-se dizer: Foi pior a emenda que o soneto
Será que não é muito melhor ir com calma e de forma pacífica resolver as situações. Onde está a compreensão e o amor de Jesus nesta situação. Será que Jesus, iria encontrar em alguns templo dos nossos dias estes vendilhões e seria capaz de fazer a mesma coisa?


NÃO FOI O ÚNICO
Parece que esta austeridade, radicalismo fazia parte também de João Batista:
"E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus, que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura?"  (Mt 3:7)

Este também aconselhou o rei Herodes a não andar com a cunhada.
"Porque Herodes tinha prendido João, e tinha-o maniatado e encerrado no cárcere, por causa de Herodias, mulher de seu irmão Filipe;"  (Mt 14:3)
Quer dizer: Foi para a cadeia porque ao invés de se calar e pregar o Evangelho, não! Meteu-se onde não era chamado e acabou sendo decapitado:
"E, enviando logo o rei o executor, mandou que lhe trouxessem ali a cabeça de João. E ele foi, e degolou-o na prisão;" (Mc 6.27)

Também vemos isto nos apóstolos:
"E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa."  (At 2:40)
Por esta e por outras razões a Igreja era perseguida:
"E POR aquele mesmo tempo o rei Herodes estendeu as mãos sobre alguns da igreja, para os maltratar;" (At 12.1)


DECIFRANDO - O DESEJO DE NÃO DESEJAR
Eu compreendo e olho para este Jesus como aquele que não perdia tempo com quem realmente não deseja mudar de vida. O que Ele tempos atrás chamou de: Dar pérolas a porcos (Mt 7.6)

Também disse: "Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem." (Mt 13:13). Parece que Jesus os estava comparando a um tipo de ídolo, que não tem vida em si mesmo e nada pode fazer pelos outros a não ser deixá-los cada vez mais cegos em seus próprios erros e enganos. Um cego guiar outro cego. (Mt 15.14)


NOSSA POSIÇÃO
Queiram-me desculpar grande parte da ironia que carrega este texto contudo creio que estamos atravessando uma era de "LOVE" onde tememos em não mostrar nosso amor aos homens e em nada tememos em estar quebrando as fronteiras da separação que deve haver entre aquele que teme a Deus e o que não serve. Está-se a perder esta clarividência. As igrejas estão perdendo estas diferenças, os cristãos estão também as perdendo. Já não mais incomodamos o mundo como deveríamos fazê-lo. O mundo já não mais nos odeia como Jesus falou. Tudo isso é fruto de um liberalismo religioso de um espírito ecuménico que nada tem a ver com os ensinamentos de Jesus Cristo, como nos mostra os exemplos já citados.
"Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve."  (Ml 3:18)
Muitas vezes nossa preocupação não está nas pessoas, mas connosco mesmos: nossa reputação, nosso reconhecimento e tememos perder o afagar delicado das mãos do mundo em nossas almas e corações.

Não, não pensem nem me interpretem mal, não estou querendo ser um revolucionário religioso, mas como gostaria de ter em determinados momentos, a mesma determinação que Jesus e os apóstolos que O seguiram tiveram.
Estamos demasiadamente afrouxados. Parece que estamos presenciando um baixar de braços e um tremer de joelhos desconjuntados. (Hb 12.12)
Oh, como precisamos de voltar nossos olhos para os exemplos bíblicos de verticalidade e compromisso sério.
Ainda há aqueles que estão comprometidos com a Verdade de Deus e com as Escrituras Sagradas, pois desejam acima de tudo receber e viver das palavras da vida eterna. (Jo 6.68)
Estamos nós mais comprometidos com a Verdade da Palavra ou com os Homens?
Lembremos o que disse o apóstolo Paulo:
"Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo."  (Gl 1:10)

Compare:
"Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus."  (Tg 4:4)

Pense nisso!!

4 comentários:

  1. Parabéns pelo texto magistral, adorei!
    Jesus sempre foi radical com o sistema religioso de sua época, enquanto os cléricos procuvam mudanças externas, Jesus veio ao mundo não para fundamentalizar ou dogmatizar relgiões, mas sim para mudar o interior de cada homem em um singular, sem distorcer a personalidade interpessoal da pessoa, prova disso é só olhar para os apóstolos, Jesus mudou o interior de cada um deles sem, que nenhum perdesse sua identidade, mas o interior foi completamente mudado!
    Paz querido Duarte!
    Vosso conservo Falbo.

    ResponderEliminar
  2. gostei de ler...
    Deus te ajude e abençoe!
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Graça&Paz!!
    amigodecristo agradeço sua presença em meu blog.
    Muito obrigado por seu comentário que sempre nos é útil e serve de incentivo.
    Que possamos a cada dia marcar a diferença e cada vez mais se exige que assim seja.

    Um forte abraço e volte sempre.

    ResponderEliminar
  4. Graça&Paz Anónimo.
    Muito obrigado por seu comentário e sinto-me feliz em ter gostado do artigo em pauta.
    Se possível da próxima vez identifique-se, assim criaremos laços mais próximos.

    Abraços. Deus te abençoe. Volte mais.

    ResponderEliminar

Seus comentários são importantes para o blog. Deixe sua apreciação negativa ou positiva, mas não seja neutro.

Reservo-me no direito de não publicar comentários anónimos, caso entenda como necessário ou qualquer outro tipo de comentários que saia da orientação do blog.
Qualquer tipo de comentários que traga linguagem abusiva ou ofensiva de igual modo serão descartados.