segunda-feira, 17 de março de 2014

O Que É A Prosperidade ? Você É uma Pessoa Próspera ? [Part 2]



Nota:
Leia a 1ª parte AQUI


INTRODUÇÃO (Recapitulação):
Pessoas de bem, são bem sucedidas, pessoas fracassadas são pessoas de insucesso!

Será mesmo?
O sucesso, é sempre prova da bênção de Deus ?
- Não!
Certos males, é prova que Deus não está abençoando?
- Também não!

Como então podemos descobrir tal coisa?


Na primeira parte apresentei os 5 primeiros pontos, que são estes:

  • 1. Definindo os termos "sucesso" e "insucesso" e a quem aplica-se
  • 2. Olhando para os exemplos bíblicos
  • 3. Não podemos deixar-nos levar pela aparência das coisas
  • 4. Ímpios também prosperam
  • 5. Cada caso é um caso


Continuemos ...

6. Não ter pressa em descobrir:
Eu dizia na minha prosperidade: Não vacilarei jamais. Slm 30.6
Pois eu dizia na minha pressa: Estou cortado de diante dos teus olhos; não obstante, tu ouviste a voz das minhas súplicas, quando eu a ti clamei. (Slm 31:22)

No Salmo 30.6 encontramos uma pessoa que num momento de grande prosperidade, bênção, pensava que o mal jamais iria bater à sua porta.
No Salmo 31.22, encontramos o caso de alguém que num momento de grande angústia pensava que Deus o havia abandonado.

Qual dos dois estava certo? Nenhum.
A avaliação dos dois, resultou de uma pressa na analise. O problema não é o julgamento ou a avaliação de algo, mas a precipitação que por vezes assalta-nos. Necessitamos ser muito cuidadosos ao avaliar cada situação.
Não devemos preocupar-nos tanto em descobrir quem está ou não sendo abençoando por Deus. Esta não é nossa missão! Cabe-nos saber, como está nossa vida diante de Deus.
A pressa, o interesse de saber dos outros, pode-nos levar a descuidar da nossa própria vida.

Há árvores que só iremos conhecer a qualidade do fruto muito tempo depois de estar plantada, e embora muitas vezes sejamos levados pela curiosidade ou ansiedade para descobrir o tipo de árvore que está a nossa frente, há momentos que nada podemos fazer, senão esperar.


7. Avaliando a aproximação a Deus :
Quando alguém é abençoado por Deus e reconhece esta bênção como vinda do Senhor isso o fará obrigatoriamente a aproximar-se mais de Deus. A pessoa desejará ainda mais ser fiel ao Senhor.
Isto não é algo novo, mas muitas vezes esquecemos. Há pessoas que aparentemente desejam muito o Senhor, no entanto, quando de alguma maneira são abençoadas afastam-se.
Quando Jesus cura os dez leprosos, apenas um volta a agradecer. Isto não somente revela a necessidade de ter um coração grato, mas pensemos:
O que é um coração grato sem uma aproximação à pessoa para com a qual está grato ?
Um obrigado, por mais simples que seja, sempre exige uma aproximação de partes diferentes.
Já houve pessoas que receberam algum tipo de ajuda, num determinado momento difícil, por alguém desconhecido e para sempre ficaram próximas, desenvolvendo um relacionamento.
A gratidão produz aproximação e maiores bênçãos. Ao estrangeiro leproso, Jesus disse:
18 Não houve quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro? 19 E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou. Lc 17.19,19

A priorização das coisas espirituais é sem dúvida uma marca distintiva. Quando alguém é abençoado por Deus e reconhece esta bênção, a pessoa não se deixará levar ou enredar por aquilo que alcança, mas continua e prioritariamente buscará as coisas espirituais. 

Não tenho dúvidas que, se seguir Jesus fosse sucesso garantido, haveria muitas razões para O seguir e buscar.


8. A capacidade de ver as coisas do mortal para o imortal:
Um célebre pastor afirmou, aquilo que muitos procuram viver e gostariam:
“Se irei gozar das riquezas celestiais, como ouro, pedras preciosas já nesta vida, porque esperar pelas mesmas no céu?”
Quando uma pessoa, tem um coração engodado pelo materialismo, é normal que em tudo veja matéria, até no próprio céu.
Os judeus têm uma fama e talvez o proveito. Alguém os identificou como pessoas que em tudo veem um negócio e forma de ganhar dinheiro.
Os corações dos pastores e crentes que são engodados pelo materialismo, consegue de forma automática converter passagens que em nada abordam a questão material, nisto mesmo:
Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas. (Flp 3:19)

A palavra de Deus é distorcida de tal maneira que tudo é feito em prole da prosperidade terrena.
Assim sendo, não é o céu que define o terreno, mas o contrário.
Porque será que temos a terrível tendência de avaliar as coisas de cá para lá e não o contrário?
Talvez porque a suposta distância, dificulta-nos a crença no lado de lá.
Os crentes acreditam que a eternidade é real, no entanto por vezes duvidam se é tão real, como a vida que estão vivendo agora.
Assim sendo, é de alguma forma natural, não permitido por Deus, que vejamos a prosperidade de alguém em termos do hoje, do presente, do agora.


9. Não confundindo bênção de Deus com o próprio Deus:
Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. (Mat 5:45)

Neste ponto também pretendo afirmar que não podemos confundir as bênção de Deus com o próprio Deus.
Os ímpios também possuem bênçãos de Deus, tais como a chuva e o sol, embora não reconheçam que isto venha da parte de Deus.
Em Génesis 26 surge inveja por parte dos filisteus quando Isaque começa a prosperar. Prosperar em quê? Na sementeira, ou seja, naquilo que é visível.
Pensemos porque sentem inveja? O que gostariam de ter, que Isaque também tinha?
O seu Deus? Não!
As pessoas jamais irão invejar-nos pelo Deus que servimos, mas sempre invejar-nos-ão pelo que possuímos.
Então, neste aspecto, também deveríamos ter o cuidado para que aquilo que possuímos materialmente, não substituísse ou sobressaísse ao que possuímos em termos espirituais.

Podemos incorrer na tentação de pensar:
“Ah se Deus abençoasse-me mais materialmente as pessoas também atentariam para este milagre, esta bênção”
Sim, mas provavelmente jamais iriam desejar servir o nosso Deus, pelo que Ele é, sem interesses, mas pelo que ele dá a quem O segue.
O que às vezes gostaríamos, é que, não passássemos tão despercebidos materialmente aos olhos das pessoas, por isso desejaríamos materialmente ser mais prósperos. Muito têm a bênção do Senhor sem possuírem o Senhor da bênção.
Muitos agarravam-se ao Templo do Senhor (material), mas o Senhor já não estava mais no meio deles.
O Templo era uma bênção, mas à muito que haviam perdido a presença de Deus e Sua real proteção.


10. Deus tem um propósito para cada situação
2 E o s seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? 3 Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. (Jo 9:2)

Perante tudo o que temos visto, alguém pode dizer:
"Mas, Deus quer que seus filhos passem por determinadas necessidades e dificuldades? Deus quer que seus filhos sofram ?"

Mas pergunto:
Quem está preocupado com o sofrimento dos filhos de Deus?
Os próprios filhos ou aqueles que não são?

Se não são os filhos :
Eles nada tem a ver com a forma de Deus trabalhar naqueles que são seus filhos.
Jamais esperamos que sejam os de fora de uma família que ofereça a educação ao lar.
Um ditado diz: “Quem dá o pão, também dá a criação”.

Pergunto:
De quem os filhos de Deus dependem?
Quem está de fora da família de Deus, examina muito mal a forma de Deus educar seus filhos. Mas isto é normal.
"Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente."  (I Cor 2:14)
Esta falta de capacidade, expressa-se por vezes das seguintes maneiras: 

  • “Se Deus ama-te, porque …"
  • "Se Deus cuida de ti, porque …."
  • "Se Deus existe, então porque ...”
Embora sintamos grande tristeza em nosso coração, também sabemos como o diabo age naqueles que são filhos dele.

Se são os próprios filhos é necessário relembrar o que diz a palavra de Deus:
Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos, e não filhos. (Heb 12:8)
E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. (Rom 8:28)
Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos. (Slm 119:71)
Porque melhor é que padeçais fazendo bem (se a vontade de Deus assim o quer), do que fazendo mal. (I Pd 3:17)
Portanto também os que padecem segundo a vontade de Deus encomendem-lhe as suas almas, como ao fiel Criador, fazendo o bem. (I Pd 4:19)

Necessitamos ter em mente que há situações hoje que não compreendemos, pois vemos como enigma:
Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. (I Cor 13:12)

O cristão está sendo preparado para a eternidade, não para ser a pessoa mais feliz e próspera neste mundo.
As necessidades pelas quais Paulo passou ajudou-o a ser uma pessoa com um carácter mais firme e determinado e a sentir de forma mais constante o poder e a graça de Deus:
"Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte."  (II Cor 12:10)
12 Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. 13 Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece. Flp 4.12,13

Um exemplo claro disso encontra-se em Atos 12:
1 E POR aquele mesmo tempo o rei Herodes estendeu as mãos sobre alguns da igreja, para os maltratar; 2 E matou à espada Tiago, irmão de João. 3 E, vendo que isso agradara aos judeus, continuou, mandando prender também a Pedro. 11 E Pedro, tornando a si, disse: Agora sei verdadeiramente que o Senhor enviou o seu anjo, e me livrou da mão de Herodes, e de tudo o que o povo dos judeus esperava.

A célebre pergunta é:
Porque Deus não libertou Tiago, mas sim a Pedro ? Uma questão de amor ? Sim, mas por quem?
Pelo que Deus chamou a si, Tiago ou pelo que ficou no mundo a sofrer as contínuas perseguições – Pedro?

A única resposta que nos cabe assumir é: Deus tem um plano para cada situação.

“É necessário que passemos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus” (At 14.22).
“Por isso mesmo, aqueles que sofrem de acordo com a vontade de Deus devem confiar sua vida ao seu fiel Criador e praticar o bem” (1 Pe 4.19).
“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações. ... Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam” (Tg 1.2,12).


Receba nossos artigos em seu email:


Delivered by FeedBurner

0 comentários:

Enviar um comentário

Seus comentários são importantes para o blog. Deixe sua apreciação negativa ou positiva, mas não seja neutro.

Reservo-me no direito de não publicar comentários anónimos, caso entenda como necessário ou qualquer outro tipo de comentários que saia da orientação do blog.
Qualquer tipo de comentários que traga linguagem abusiva ou ofensiva de igual modo serão descartados.